sexta-feira, 14 de junho de 2013

Envolta na subtileza do momento
Perco-me na necessidade de definir o indefinível,
Na veleidade da condensação de um pensamento...

Na insatisfação inebriada e intransmissível,
Envolta na fome de conhecimento...
E na sede do incognoscível.

Iluminada por uma curiosidade insaciável
Que se perde facilmente nos meandros de minúncias
Das pequenas subtilezas cintilantes, insusceptíveis de renúncias…
Porque grandes instigadoras da procura de uma sabedoria inalcançável…

A sabedoria pura -  Indecifrável. 

(Maria Vaz)


Sem comentários:

Enviar um comentário