sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Os dias
 são as partículas
artificialmente fragmentadas
de um absoluto eternizado
numa essência ontológica,
tendencialmente imutável.

O tempo
não é mais do que a ordem
de um caos que tudo contém
e que tudo ordena.
É a lei do ritmo em acção.

O espaço
é uma percepção dimensional.
Uma estratificação do todo.
Uma relativização do 'olhar'.

O ser humano
é tão infinito como o universo,
embora a pequenez egoística
o limite a um sistema,
a uma estrela de pequena dimensão.

Não é óbvio que vivemos numa ilusão?

A sabedoria
é o caminho
de uma verdade reveladora
que só ilumina os que ousam
transformar-se.

Maria Vaz






Sem comentários:

Enviar um comentário