domingo, 20 de outubro de 2013

Vangloriações,
egocentrismos,
possessividade,
calculismo:
Peculiaridades plasmadas
em faces aparentemente virtuosas.

Incertezas,
insegurança,
medrosidade excessiva 
em enfrentar situações:
normalidades impacientemente
inquietantes em faces comuns.

Há anoiteceres tão elucidativos
como a primeira gota de água,
anunciadora da intensidade de uma precipitação.

Há complexidades que se abeiram
de turbulências tão conexas 
a uma cobardia amargurantemente
desvaliosa...

E, depois, há percepções 
certeiras de que o ritmo avança
e que, indubitavelmente, 
o arco-íris trará ouro ao invés de cobre. 

Maria Vaz



Sem comentários:

Enviar um comentário