terça-feira, 5 de novembro de 2013

Que o amor seja o ideal a atingir!
Que a paixão seja o ópio do tempo!
Que os olhos sejam muito mais do que espelhos da alma!
Que o corpo seja um templo a um Deus qualquer!

Que a vida seja uma descoberta contínua!
Que o sonho nos invada, sempre!
Que as lágrimas nos fortaleçam!
Que o Ser nos eternize...

Que a efemeridade sirva para que percebamos o eterno!
Que o mundo nos faça evadir, ainda que pela banalidade!
Que a alegria venha sempre das pequenas coisas.
São elas que nos caracterizam
Até quando não sabemos o que somos...
E Ser é não saber o que se é.
Saber o que se é...
é viver a ilusão de um ideal que não chega!
Ser o que somos é deixarmos-nos ir
por entre as vielas entupidas pelos trânsitos do Destino!

Que a vida nos dê a ávida sensação,
que supera tudo o resto.
Que nos faça sentir, além de nós, os outros!

Que o sonho nos faça chegar ao impossível,
Aos emaranhados de almas alheias!
Que a mente nos faça caminhar para a perfeição!
E que a natureza nos renove a cada instante...!

Isso e aquilo que as palavras não conseguem dizer...
É o que desejo (desta) vida!

Maria Vaz



2 comentários:

  1. «Que o amor seja o ideal a atingir!» - e haverá meta mais engrandecedora do que essa? Um belíssimo trabalho. Gostei bastante.
    Beijos e boas inspirações.

    ResponderEliminar