sexta-feira, 14 de março de 2014

Nestes dias em que o Sol parece duplicar a luz e o calor, apetece-me colocar uma mochila nas costas e percorrer o mundo; parece que qualquer coisa banal adquire uma certa luz, como se uma necessidade de explorar me assolasse o intelecto; como se os horizontes fossem infinitos e a vida do dia-a-dia parecesse demasiado redutora aos olhos do espírito; como se houvesse um 'mais e melhor' sempre por vir.

*Coisas de quem nasceu com Júpiter bem pertinho do ascendente. 
A vida é uma prova de expansão; de risco e aventura; de conhecimento e experiências... e de fé em algo que nos transcende.
A vida, para um Jupiteriano, "não tem limites". E é bom de ver que os limites físicos só existem quando a mente e o espírito se apequenam. 
E, claro, quando o corpo (físico) não viaja, vem sempre a vã filosofia: essa viagem do espírito, que é luz e tormento. 

E como diria Álvaro de Campos:

"Sou um formidável dinamismo obrigado ao equilíbrio 
De estar dentro do meu corpo, de não transbordar da minh'alma."




quarta-feira, 12 de março de 2014

Talvez a douta ignorância socrática não se remeta ao conhecimento.
De que vale um saber enciclopédico? Incompreensão?!
Talvez a razão seja a escuridão ao invés da luz.
Talvez a verdade seja o óbvio por detrás da aparência.
Felizes aqueles que sabem o que sentem com perfeita exactidão.
Felizes aqueles que se reconhecem e se libertam.

Maria Vaz








quarta-feira, 5 de março de 2014

É tão fácil perceber o que subjaz as palavras em gestos e olhares. 
E é tão fácil perceber o que queremos quando a cortina da verdade cai.
E tão engraçado como as pessoas se tentam adaptar sem serem o que realmente são.
É tão ridículo o medo da diferença existencial...e tão desnecessário!!
É tão mais fácil fingir o desapego e um modo de vida banal.
É tão difícil assumir a verdade quando ela parece ridícula aos olhos de todos.
É tão irritante vislumbrar a infelicidade em olhos alheios por falta de coragem.
E é reconfortante perceber que tudo muda em pouco tempo e que o tempo é apenas a medida da ilusão.