sexta-feira, 14 de março de 2014

Nestes dias em que o Sol parece duplicar a luz e o calor, apetece-me colocar uma mochila nas costas e percorrer o mundo; parece que qualquer coisa banal adquire uma certa luz, como se uma necessidade de explorar me assolasse o intelecto; como se os horizontes fossem infinitos e a vida do dia-a-dia parecesse demasiado redutora aos olhos do espírito; como se houvesse um 'mais e melhor' sempre por vir.

*Coisas de quem nasceu com Júpiter bem pertinho do ascendente. 
A vida é uma prova de expansão; de risco e aventura; de conhecimento e experiências... e de fé em algo que nos transcende.
A vida, para um Jupiteriano, "não tem limites". E é bom de ver que os limites físicos só existem quando a mente e o espírito se apequenam. 
E, claro, quando o corpo (físico) não viaja, vem sempre a vã filosofia: essa viagem do espírito, que é luz e tormento. 

E como diria Álvaro de Campos:

"Sou um formidável dinamismo obrigado ao equilíbrio 
De estar dentro do meu corpo, de não transbordar da minh'alma."




3 comentários:

  1. Nada como o desafio de uma longa estrada de poente, desaguando no horizonte... Pessoalmente, adoro caminhadas. Mais do que o acto físico em si, é o acto espiritual que para mim representa. As tuas palavras, de certo modo, fizeram-me evocar tal coisa. Não que planeta tenho junto ao ascendente (Gémeos), mas a atmosfera do texto inspirou-me essa envolvência... ;)
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Sabes que, sob o ponto de vista astrológico, não deixa de ter a sua piada. Gémeos é o signo da comunicação, dos estudos mais breves, das pequenas viagens (ao contrário de Júpiter que tem mais analogias com a expansão vinda de grandes viagens, estrangeiro, ensino superior, filosofias de vida, etc). Apesar das diferenças, as viagens são o 'elemento comum' (apesar, também, de Júpiter se encontrar em queda em gémeos devido à oposição relativamente ao signo em que transita domiciliado, que é sagitário). E sagitário, presente na tua casa 7, mostra-nos essa 'expansão na forma como te relacionas com o outro, padrões de relacionamentos pessoais e profissionais próximos, etc.
    Ainda nestas 'coisas' da astrologia, penso que a relevância da espiritualidade na tua vida se deve ao posicionamento angular de Júpiter em Peixes, na tua casa X (que é a casa que demonstra a forma como a sociedade tende a 'catalogar-nos'; assuntos relacionados com a carreira; etc). .
    No teu caso (uma vez que tens sagitário na casa 7 e o regente (Júpiter) se encontra na 10), os relacionamentos sérios tendem a estar relacionados com a carreira profissional.
    Se tiveres curiosidade, vê os estudos do Sr. Gauquelin (elaborou uns estudos estatísticos, na primeira metade do século XX, acerca da influência profissional de determinados posicionamentos astrológicos nos ângulos do mapa natal). Perceberás que temos, ambos, um Júpiter angular (o teu perto do Medium Coeli e o meu perto do ascendente, sendo que o teu se encontra em Peixes e o meu em Leão, mas na casa XII, que é a casa natural de peixes).
    Enfim. Vou deixar-me de 'astrologuês'. Tenho noção que isto é capaz de parecer uma coisa confusa.
    Beijo :)

    ResponderEliminar
  3. Sim, pode ser um pouco confuso... Mas nada que uma atenta leitura e compreensão não possam resolver... ;)
    Numa outra ocasião havia referido que tenho, algures, um mapa aqui em casa que em tempos idos alguém me fez... Mas as conclusões sobre o mesmo perderam-se, maioritariamente, no render das estações. Sobejam, por isso, alguns elementos de referência que não passam de fragmentos: Lua em Virgem, Vénus em Escorpião e qualquer coisa em Capricórnio, julgo que Marte... =) Além dos Nodos e afins... Utilizando essa linguagem específica, creio que o meu revela que 'venho' de Leão e 'vou' para Aquário ou Peixes... Seja lá isso o que for =) Mas sabes que nutro interesse pela ciência, além de curiosidade (que somente o instiga, claro). Por isso, é muito bom poder 'escutar' de alguém tão versado nestes assuntos determinadas elucidações... E constatar, por vezes, o quão acuradas as mesmas se revelam. Agradeço o esclarecimento ;)
    Outro aspecto curioso, que a esta ciência se poderá ligar, é a vertente 'kármica' da mesma... Nomeadamente para quem crê em vidas passadas. Ou seja, ler no mapa, de acordo com a posição dos astros, que vidas se poderão ter tido bem como os desafios ou marcas que estas deixaram. É uma abordagem diferente que certamente já ouviste falar, cujos resultados, por vezes, podem ser portadores de assombrosas 'coincidências'.
    Beijos e boas inspirações... Fica bem ;)

    ResponderEliminar