segunda-feira, 20 de outubro de 2014

"Liberdade para dentro da cabeça"

Ricardo Reis escreveu, "cumpramos o que somos", pressupondo que somos tudo. Como a maioria de nós só sabe o que é com base na escassa consciência que tem de si próprio, esquecendo o todo em prol da 'parte'... eu ousaria dizer: tenhamos loucura de aumentar o que somos. Só assim a existência atribui valor à essência, que a precede. Só assim nos vemos livres de determinismos. Só assim deixamos de nos limitar. Se o universo está em nós, para quê reduzirmo-nos a uma nebulosa?



Sem comentários:

Enviar um comentário