quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Mais do que água e moléculas de carbono
ou do que títulos e experiências no caminho do 'status',
que talvez despreze.
Mais do que as certezas e seguranças
e do que as linhas retas
encobertas dos 'moralismos' que rejeita.
Mais do que a ordem,
de que vai fugindo pela liberdade de se pertencer.
Mais do que impulsos eléctricos entre sinapses
que geram mais intuições do que silogismos.
Ela acredita que a liberdade está no 'caos' de 'ser'
e só quer o que a faz sentir em sintonia
com o que transborda invisivelmente,
por dentro,
em tons calma e misteriosamente
coloridos de intensidade.

Alma Salgueiro

Sem comentários:

Enviar um comentário