terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

As nossas essências colidiram
algures em um tempo distante.
Não somos mais do que assimilações
de causalidades perdidas no caos.
Despertamos tonalidades vagas
em almas anestesiadas pelo banal.
De vez em quando,
encontramos brilho na complexidade do mistério,
enquanto rejubilamos no meio do vácuo.
E cintilamos como uma supernova
prestes a eclodir.

By Mary

Sem comentários:

Enviar um comentário