sábado, 19 de agosto de 2017

Toda a gente foge um pouco de si,
de vez em quando.
De vez em quando,
toda a gente se esconde;
toda a gente perde tempo
e ganha cura.
De vez em quando
uns meses resolvem o interior,
enquanto a vida corre e não espera.
Depois voltamos a sair para o mundo
com cara lavada e aura brilhante
para correr atrás do que deixamos passar.
De vez em quando
renascemos das cinzas
e matamos muitos medos.
De vez em quando
percebemos que humildade
não é sinónimo de anulação
e que não querer competir
não é o mesmo que burrice ou renúncia
e que podemos permanecer
com elegância.
De vez em quando
precisamos de um tempinho
para arrumar as gavetas
onde se cruza a razão e a emoção.
Depois damo-nos ao mundo,
sem remoer o passado
e esquecemos a dor desse
'de vez em quando'.
E sobram sorrisos
porque a memória é sempre seletiva.

By Mary

Sem comentários:

Enviar um comentário